Argentina é um país com 40 milhões de habitantes, estabelecido em uma superfície de aproximadamente 1,5 milhões de quilômetros quadrados, organizado segundo os princípios republicanos da divisão de poderes e com uma organização federal, que está caracterizada por uma tradição de mais de 150 anos na cordial recepção de mulheres e homens do mundo todo, de diversas etnias, cultos e ideologias, ao mesmo tempo em que mostra um respeito e reconhecimento crescente com suas comunidades aborígines.A suas paisagens conhecidas no mundo todo, que combinam desertos com pampas férteis, praias tranqüilas e extensas com montanhas nevadas e cataratas com glaciais, une-se uma vida em democracia fortalecida e um exercício institucional ininterrupto desde 1983. E mais de 3000 cidades onde os habitantes exercem em plenitude sua cuidada autonomia e as 23 províncias e a cidade autônoma de Buenos Aires exercem o poder no exercício de suas responsabilidades de providenciar para a população os serviços de saúde, justiça, educação e segurança.

Algumas de suas cidades têm mais de 400 anos de antiguidade, fundadas durante a colonização espanhola, enquanto que outras têm menos de uma década de criação. Por tal motivo o visitante encontrará tradições seculares junto a uma visão cosmopolita, em uma combinação que caracteriza os argentinos.

A importância outorgada à educação desde há 120 anos, permite mostrar uma das maiores taxas de alfabetização do mundo. Um argentino leitor e interessado pelos temas que desvelam à humanidade, prestigiosos artistas, intelectuais e científicos, como assim também profissionais que obtêm reconhecimento por suas capacidades no país e no estrangeiro.

Esta importância também está expressa através de um sistema de 103 instituições universitárias, estaduais e privadas, que abrangem a mais de 1.500.000 de estudantes que concorrem a estabelecimentos criados recentemente ou a universidades fundadas previamente à conformação do estado argentino, como são o caso das Universidades de Córdoba e Buenos Aires, criadas em 1613 e 1821 respectivamente.

Somado ao respeito pelos jogadores de futebol, que percorre o mundo, nos últimos anos se acrescentou o reconhecimento a outras manifestações esportivas coletivas nas quais a Argentina está se destacando: basquete e vôlei masculino, hóquei feminino e rúgbi alcançando posições de privilégio nos torneios mais importantes do mundo.

Todos eles demonstram o entusiasmo dos jovens pelas práticas esportivas. Muitas das instituições argentinas possuem suas próprias equipes que competem internamente ou participam em ligas regionais ou nacionais.

Assim, os estudantes estrangeiros, como é o caso dos 43.000 alunos brasileiros que hoje vivem em Buenos Aires, ao vir à Argentina se encontrarão com um país que lhes oferece uma ampla, diversificada e qualificada oferta de estudos universitários, tanto de graduação quanto de pós-graduação, com um custo de vida acessível, compartilhando as atividades acadêmicas com jovens de outros países e a possibilidade de ter uma experiência de vida única percorrendo um país de contrastes em sua geografia e clima.

Universidades Nacionais

Com esta denominação ou a de universidades do estado, identifica-se àquelas instituições que foram criadas pela lei do Honorável Congresso da Nação, com exceção daquelas que precedem a constituição do próprio estado (como as Universidades Nacionais de Córdoba e de Buenos Aires), são pessoas jurídicas de direito público e recebem financiamento por parte do estado nacional para seu funcionamento regular, através da lei de orçamento anual.

Representam a proporção mais importante do sistema universitário argentino: mais de 80% dos estudantes se encontram em suas salas de aula, suas sedes possuem cobertura em todas as províncias do território nacional, realizam mais de 50% da pesquisa científica do país e oferecem assistência técnica ao setor público e privado.

Ao dia de hoje o número de universidades nacionais é de 38, elas são freqüentadas por aproximadamente 1.275000 estudantes. Seus reitores fazem parte do Conselho Interuniversitário Nacional (CIN), âmbito de coordenação e acordo, reconhecido pela lei de educação superior 24521.

Universidades Privadas

As Universidades privadas estão conformadas como associações civis ou fundações, sem fins lucrativos. Estão presentes na Argentina desde fins de 1950, sendo a primeira delas a Universidade do Salvador. Algumas delas estão ligadas a comunidades religiosas (católicas em sua grande maioria) e outras são de caráter laico. Suas máximas autoridades estão nucleadas no Conselho de Reitores de Universidades Privadas (CRUP) e junto do CIN formam parte do Conselho de Universidades, órgão de consulta do Ministério de Educação, Ciência e Tecnologia. Em total são 41 instituições de ensino superior, freqüentadas por 245.000 estudantes.